Empresa

Três perguntas que os viajantes de negócios fazem a si mesmos quando viajam

23 de fevereiro de 2019 / Europa

Se é um gestor de viagens, está provavelmente habituado a lidar com questões práticas sobre reservas de viagens ou envios de despesas. Contudo, não consegue ler pensamentos.

Pode ser difícil vislumbrar o processo de tomada de decisão de um viajante, mesmo quando são enviados inquéritos pós-viagem e agendados check-ins regulares de viajantes.

Nesta publicação, vamos guiá-lo através das questões mais prementes que os viajantes colocam a si mesmos e mostrar como os gestores de viagens lhes podem proporcionar tranquilidade. Recolhemos as nossas informações de estudos conduzidos pela equipa interna da Uber de investigação da experiência do utilizador, que tentou traçar um mapa do processo de tomada de decisão de um viajante e das motivações que este tem enquanto viaja.

1.ª pergunta: como posso tornar esta viagem o mais tranquila possível?

No nosso inquérito, 44 % dos viajantes disseram que uma viagem sem stress é importante para eles. Tal deve-se ao facto de os viajantes saberem por experiência como é que o stress afeta o respetivo desempenho. Ter de seguir uma agenda rigorosa e dedicar energia a pequenas inconveniências pode causar stress desnecessário e desviar a atenção da tarefa que o viajante tem em mãos. Deste modo, os viajantes desejam remover atritos das suas viagens em todas as oportunidades possíveis.

Apesar de parecer óbvio que os viajantes não se querem sentir stressados, é importante que os gestores de viagens compreendam a escala e o âmbito dos fatores de stress. Refeições pouco saudáveis podem parecer menos stressantes do que um atraso num voo que altera toda a agenda, mas estas duas perturbações podem ser igualmente inquietantes. Embora a última situação possa estar fora do controlo do viajante, a primeira afeta os cuidados pessoais básicos. Lembre-se: os viajantes também têm necessidades. Se as necessidades dos viajantes não forem satisfeitas, estes terão menos capacidade para se concentrarem no objetivo da viagem.

Como tranquilizar um viajante

  • Permita tempo adicional de viagem. Uma agenda completamente preenchida intensifica as preocupações dos viajantes. Ao disponibilizar tempo adicional, os viajantes conseguem focar-se no respetivo bem-estar e preparar-se de forma adequada para o objetivo da viagem.
  • Simplifique o processo. Todas as instruções para os viajantes devem ser claras, exatas e fáceis de seguir, nomeadamente como reservar uma viagem, efetuar alterações durante a viagem e enviar despesas após o regresso.

2.ª pergunta: estou a fazer um bom uso do meu tempo?

Como seria de esperar, o nosso inquérito reafirmou que o principal objetivo dos viajantes é obter um resultado comercial positivo. Também revelou que os viajantes ficam nervosos só de pensar que podem chegar atrasados ou falhar um compromisso enquanto estão numa viagem de negócios. Ambos os casos realçam a importância de um uso eficaz do tempo durante uma viagem, quer seja em relação a chegar a horas, a disponibilizar tempo adicional para dar os últimos retoques ou a gastar menos tempo em ir do ponto A para o ponto B para estar mais tempo com os clientes.

Na verdade, a eficácia ajuda os viajantes e também os gestores de viagens. Toda a empresa beneficia quando a energia física e mental de um viajante está direcionada para o negócio em questão, em vez de ser despendida nos pormenores dos preparativos da viagem. Felizmente, não é difícil tentar alcançar a eficácia: os gestores de viagens podem optar por voos diretos e hotéis nas proximidades e apontar estas preferências diretamente na política de viagens oficial.

Como tranquilizar um viajante

  • Remova passos desnecessários da sua política de viagens. Elimine redundâncias dos textos que abordam as responsabilidades dos viajantes. O resultado final será uma política de viagens mais eficaz também para a empresa.
  • Escolha a conveniência sempre que possível. Produtos e serviços fáceis de usar, conhecidos e apreciados favorecem a eficácia, a fiabilidade e o bem-estar dos viajantes, contribuindo para bons resultados que fazem crescer o seu negócio.

3.ª pergunta: posso confiar neste produto ou serviço?

O nosso inquérito descobriu que os viajantes de negócios são avessos aos riscos; 61 % dos inquiridos indicaram a fiabilidade como uma das três principais prioridades quando viajam em trabalho.

Os viajantes não querem ter surpresas enquanto viajam, nem querem experimentar algo novo quando têm uma tarefa importante para realizar. Querem soluções comprovadas que funcionam como esperado e que proporcionam uma experiência familiar com a qual podem contar.

A fiabilidade é fundamental para um planeamento eficaz e sem stress. Saber o que esperar ajuda os viajantes a reduzir os respetivos níveis de stress e a trabalhar de forma eficiente. Estas expetativas podem ser simples, como pedir um café de manhã numa cadeia de hotéis conhecida, ou de nível elevado, como saber qual é o procedimento para reagendar um voo numa determinada companhia aérea.

Além disso, a fiabilidade desempenha um papel muito importante em toda a empresa. São canalizados imensos recursos e horas para o planeamento de uma viagem da empresa. Usar um fornecedor, um serviço ou um procedimento não comprovado pode tornar-se dispendioso para a empresa.

Como tranquilizar um viajante

  • Trabalhe com marcas testadas e aprovadas. A inexistência de uma curva de aprendizagem reduz o stress dos viajantes ao apoiar experiências com as quais estão bastante familiarizados. Deste modo, ficam livres para se concentrarem na respetiva reunião, apresentação ou conferência.

Resumindo

Quando os viajantes de negócios tomam decisões enquanto viajam, querem saber se as respetivas escolhas irão favorecer os resultados positivos que pretendem alcançar na viagem. Isto envolve lidar com três grandes imperativos: eficácia, fiabilidade e redução do stress. Um produto ou serviço fiável deixa pouca margem para surpresas durante uma viagem e as escolhas eficazes poupam tempo precioso. Ambos aspetos trabalham em conjunto para reduzir o stress dos viajantes, o que por sua vez assegura que os viajantes conseguem o melhor desempenho possível. A longo prazo, as escolhas esclarecidas dos viajantes permitem-lhes preocupar-se menos com os planos de viagens e focar-se mais em conseguir aquele novo cliente.